Institucional

Página inicial Institucional

História do Sicoob Credisulca

        Segundo o Sr. Romanim Dagostin com a falta de apoio e o precário atendimento dos bancos existentes na região, a grande maioria dos pequenos e médios produtores rurais não tinham acesso ao crédito. Cientes dos acontecimentos e vivenciando esse problema, um grupo de agricultores sustentados pelo sonho de independência financeira e autonomia sobre o que lhes era de direito: o Crédito Rural, reuniu-se com o objeto de constituir uma cooperativa de crédito rural.

        Nessa mesma época Dagostin também era secretário da Cooperativa Regional Agropecuária Sul Catarinense (Coopersulca) e presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Turvo, e acabava de chegar de viagem do Rio Grande do Sul e Europa e nessa ocasião havia conhecido alguns modelos de cooperativismo de crédito, resolveu liderar esse grupo de agricultores. No dia 1º de Março do ano de 1986, foi realizada a primeira assembléia geral de constituição da Cooperativa de Crédito Rural Sul Catarinense Ltda - Credisulca

        Somente três anos após esse fato, no dia 22 de março de 1989, através do certificado de autorização nº 9908829, emitido pelo Banco Central do Brasil, autoriza-se a abertura e funcionamento da Cooperativa de Crédito Rural Sul Catarinense (Credisulca). Esta iniciou suas atividades em 23 de Setembro de 1989, em uma sala cedida pela Coopersulca, local que ficava aos fundos desta empresa e, era utilizado como garagem para estacionamento de veículos.

        Com o decorrer dos anos o número de sócios foi aumentando e a cooperativa ficou sendo conhecida como uma instituição sólida e comprometida com a sociedade. Para melhor atendimento aos seus associados, uma nova instalação foi construída, e em 28 de Janeiro de 1994 inaugurou-se a sua sede própria no município de Turvo/SC.

        A Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Sul Catarinense - SICOOB Credisulca é filiada ao Sistema Cooperativo de Crédito do Brasil - SICOOB/SC.

        No auge de suas atividades, inicia sua expansão na região Sul de Santa Catarina. São João do Sul foi a segunda agência inaugurada, em 18 de agosto de 1998; como esta obteve-se uma boa aceitação pela sociedade, e a diretoria resolve então continuar sua expansão para que mais pessoas pudessem se beneficiar deste sistema.

        Inaugura-se sua terceira agência em Timbé do Sul, dia 28 de julho de 2000, a quarta em Meleiro no dia 31 de agosto de 2001, quinta em Nova Veneza em 03 de maio de 2002, sexta em Araranguá em 26 de fevereiro de 2003, sétima em Passo de Torres em 22 de dezembro de 2003, oitava em Forquilhinha em 13 de abril de 2004, nona em Morro Grande em 19 de novembro de 2004, décima em Balneário Arroio do Silva em 26 de Setembro de 2005, décima primeira em Urussanga em 28 de outubro de 2005, décima segunda no Bairro Santa Luzia em Criciúma em 23 e Julho de 2007, décima terceira no centro de Criciúma no dia 26 de outubro de 2007, décima quarta no centro de Araranguá no dia 17 de novembro de 2008, décima quinta em Siderópolis no dia 09 de Janeiro de 2009.

        Devido seu crescimento e o bom desempenho do cooperativismo de crédito no Brasil foi formado no ano de 1997 o Banco Cooperativo do Brasil (BANCOOB), com sede em Brasília e autorizado a funcionar no dia 21 de julho do ano de 1997 que marca uma nova era no cooperativismo de crédito a nível nacional.
        Sendo, assim hoje a cooperativa conta com um quadro expressivo de associados distribuídos em suas agências.
        Através de sua cooperação financeira a cooperativa vem alcançando resultados surpreendentes nos últimos exercícios, com isso é cada vez mais competitiva em sua área de atuação.

PRINCÍPIOS

1. COOPERATIVISMO.
- Ações sustentadas nos princípios cooperativistas.

2. ASSOCIADOS.
- Estímulo à sua participação e máxima fidelização.
- Sua satisfação é nosso alvo principal.

3. TRANSPARÊNCIA.
- Fortalecimento da confiança dos associados por meio da ampla disponibilidade de informações sobre a instituição.

4. CREDIBILIDADE.
- Preservação da solidez econômica e financeira, observados os conceitos da ética.

5. QUALIDADE.
- Busca permanente do aprimoramento de nossos produtos, serviços e atendimento.

6. RECURSOS HUMANOS.
- Permanente valorização e desenvolvimento do patrimônio humano.

MISSÃO
Contribuir para o desenvolvimento econômico e social dos associados, por meio da cooperação financeira e de serviços, promovendo a melhoria de vida da comunidade.

VISÃO
Sermos reconhecidos pela sociedade como a melhor opção financeira e de serviços na região, possuindo autonomia financeira para o atendimento das necessidades dos associados.